Memorial Petronio Augusto Pinheiro
PRINCIPAL AMAZÔNIA BIOGRAFIA EMPREENDEDOR FAMÍLIA DOCUMENTOS ÁLBUM VÍDEOS AUDIOTECA LIVRO DE VISITAS
Segunda Guerra Mundial e a Batalha da Borracha
-A  A+

A Amazônia recebeu importante impulso neste período da Era Vargas e Segunda Guerra Mundial. No inicio da guerra, o Japão, aliado de Hitler, resolveu invadir a Malásia, possessão Inglesa localizada no sudeste Asiático e grande fornecedor de borracha para as indústrias mundiais. Devemos lembrar que a Amazônia vivia a decadência de seus seringais, e agora com este problema os Aliados precisavam urgentemente de um fornecedor, assim surgiu os Acordos de Washington. O Brasil forneceria toda a borracha necessária aos Aliados, permitiria que os Estados Unidos instalassem bases militares no Nordeste Brasileiro, que serviriam de apoio para as suas forças militares, em troca o Brasil receberia investimentos financeiros para montagem de uma grande infraestrutura industrial.

Foi assim que surgiram, a Companhia Siderúrgica Nacional-CSN, situada em Volta Redonda cidade do Estado do Rio de Janeiro, hoje em dia é uma das maiores produtoras de aço do mundo, a Companhia Vale do Rio Doce, uma das maiores mineradoras do mundo e a extinta Fábrica Nacional de Motores-FNM. O desenvolvimento Industrial Brasileiro deve muito ao trabalho dos Soldados da Borracha (recortes) nos seringais amazônicos, tanto o sudeste quanto o sul do Brasil, hoje ricos e industrializados devem muito ao pobre soldado da borracha. A participação do Brasil no conflito mundial, foi desempenhado principalmente na Amazônia e não nos campos de batalhas italianos. Foi a luta nas selvas para a extração da borracha, onde milhares de nordestinos enfrentando a malária, isolamento geográfico, o calor escaldante da maior floresta tropical do mundo e suas feras, muitos vieram a falecer sem o devido reconhecimento.

Um passado de glória que ficou somente na triste lembrança em tempos que não voltaram mais. A demagogia política e o descaso administrativo transformaram esse personagem outrora orgulhoso de sua importante missão, em um ser amargo e sem esperanças, os bravos soldados que combateram com a força de seus braços, suor, patriotismo e caráter, nas profundezas das selvas amazônicas, viram os ideais de justiça e liberdade perderem-se e sua pátria negar-lhes a retribuição necessária e devida.

  Linha do Tempo

   
   
   
   
   
   
   
   
   
    2010

  Links Relacionados

Aqui é o meu lugar.
A Família Baraúna.
As Grandes Secas e a Hevea
A queda abrupta do preço da borracha
Sistema Preventivo Salesiano
Da borracha ao café
A Grande Crise.
Manaus de 1937
Cosme Ferreira e as questões amazônicas.
Anos 30 - O país de costas para a Amazônia.
O Estado Novo e o desenvolvimento fabril.
As formas de contestação à censura da década de 1930.
Lições da Floresta
A História da Associação Comercial do Amazonas - ACA.
A posição do Brasil na Segunda Guerra.
Grandes Pensadores e Empreendedores da Amazônia.
A Criação do INPA
O empresário Moysés Benarrós Israel
A Zona Franca de Manaus
José Ribamar Bentes Siqueira
O nascimento de Petronio Augusto Pinheiro - Uma constelação fulgurante
Quem foi Heitor Dourado
Entrevistados

  Tags

Borracha / Categoria Amazônia / II Guerra Mundial / Segundo Ciclo da Borracha /

  
 
® 2012 - 2018 Memorial Petronio Augusto Pinheiro
  |  DESENVOLVIMENTO