Memorial Petronio Augusto Pinheiro
PRINCIPAL AMAZÔNIA BIOGRAFIA EMPREENDEDOR FAMÍLIA DOCUMENTOS ÁLBUM VÍDEOS AUDIOTECA LIVRO DE VISITAS
Juruá e Madeira, surge a JUMA participações
-A  A+

Atento aos sinais de seu tempo e dedicado a monitorar e compreender as tendências no campo da Economia e da Política, fatores que interferem diretamente no conjunto das relações sociais e econômicas, Petronio e os seus sócios no Grupo Simões, no final da década de 80, constituíram as suas holdings familiares com o objetivo de proteger o patrimônio da inevitável pulverização do capital, em face da constatação de que as famílias crescem mais que as empresas, e do insaciável apetite do Fisco por novos impostos, buscando agora estender seus tentáculos sobre os bens duramente amealhados e transmitidos às futuras gerações a título de herança. Outro objetivo com a criação da holding era utilizá-la como ferramenta para cristalizar os valores e crenças do casal Petronio e Iclé, no âmbito familiar, empresarial e societário. Atualmente isso se chama Governança Corporativa. A Juma Participações tem no seu DNA, o nome é uma homenagem aos rios Juruá e Madeira, a harmoniosa relação com a natureza, colocando o ser humano e o atendimento às suas necessidades, como mola propulsora de seus empreendimentos empresariais. A empresa é dirigida pelos sucessores de Petronio e Iclé e a financiadora do Memorial Petronio Augusto Pinheiro.

CARABAO, A “REVOLUÇÃO”DOS PRETOS

Carabao Agropecuária Ltda. – O dia 09/09/1989, para a família do industrial e pecuarista Petronio, pode ser definido como o dia da independência na sua atividade de bubalinocultura. Após muitos anos de luta com a tradicional criação de gado, passando os animais da terra firme para a várzea e no sentido contrário, subordinado ao regime das enchentes e vazantes dos rios amazônicos. O filho Rodrigo é bem sucedido na sua busca em adquirir uma área de terra firme conjugada com várzea, que tronasse a transferência do rebanho opcional e não mandatória. O terreno adquirido do tradicional pecuarista Penido Queirós, situa-se na margem esquerda do rio Amazonas, próximo a Vila do Novo Remanso no município de Itacoatiara-AM.

O nome Carabao foi dado em homenagem a uma das quatro raças de búfalo criadas no Brasil, que Petronio tratava carinhosamente como seus pretos, tal o carinho e o cuidado dedicado aos animais. O projeto de pecuária bubalina revolucionou os parâmetros pecuários no Estado, imprimiu bravura  e mais espírito de aventura à comunhão familiar, tornando as festas mais bucólicas e marcantes.

Ir para a Carabao, no início dos anos 90, era uma grande aventura. O ramal que ligava a Rodovia AM 010 à Vila de Novo Remanso era de barro escorregadio, cortado por igarapés e com ladeiras íngremes. No período de verão a poeira dificultava a visão do motorista e no inverno a estrada virava um grande lamaçal escorregadio. Com duas D-20, uma verde e outra cor-de-vinho, guiando o comboio, Petronio reunia a família, tio Alfredo, os amigos e os amigos dos filhos para um fim de semana de muita diversão.

Naquele pedaço de paraíso, às margens do majestoso Rio Amazonas, o casal constituiu o outro ninho de amor da família. Havia o quarto do casal de frente para o Rio Amazonas, o quarto do Rodrigo e da Paula, o quarto do Petronio e da Rossi, o quarto da Iêda e o quarto do tio Alfredo. Muitas foram as páscoas, carnavais, festas juninas comemoradas ali. Quando Rosana e Márcia vinham de férias também reuniam os amigos e lá ficam semanas inteiras pescando, fazendo incursões pela mata, descansando.
No canto do seu quarto, Petronio montou um observatório com uma luneta e dois binóculos de longo alcance, com esses equipamentos era possível saber se era barco recreio, iate, navio ou balsa que saíam da foz do Madeira ou que vinham baixando de Manaus. Com o espírito aventureiro de sempre comprou um jetsky de dois lugares para que os filhos fizessem manobras radicais nas volumosas e furiosas águas do Amazonas. Com o tempo, a família trocou as duas D-20 por um micro-ônibus mais confortável e que podia levar, numa única viagem, mais gente para a fazenda.

Durante o período que sua saúde foi ficando mais frágil era na Fazenda Carabao que Petronio se refugiava para contemplar a natureza. A casa foi toda adaptada para que a cadeira de rodas pudesse trafegar sem obstáculos. A Fazenda Carabao representou para Petronio a continuidade da sua relação com a natureza originada nas barrancas do Juruá. Petronio construiu, na Carabao uma “casa grande” o suficiente para poder acolher os seus inúmeros amigos, filhos e netos, num permanente curso de extensão rural/social promovido pela “Universidade do Juruá”. O amor de Petronio pela terra e pela gente que lá vive foi tanto, que seus filhos resolveram construir uma capela e nela abrigar parte das cinzas de Petronio e Iclé, unidos para a eternidade.

  Linha do Tempo

   
   
   
   
   
   
   
   
   
    2010

  Links Relacionados

Biografia
A paixão pelo conhecimento
A casa da Joaquim Nabuco, 1414
A casa da Paraíba, 334
A atuação em Entidades de Classe.
O AVC e a obstinação pela vida
Do Juruá ao Juruá

  Tags

Categoria Biografia /

  
 
® 2012 - 2018 Memorial Petronio Augusto Pinheiro
  |  DESENVOLVIMENTO